Hematologia   Aparelho Circulatório   Hemoglobina   Hemacias ou Eritrócitos   Morfologia dos Eritrócitos   Malária  

O diâmetro médio dos eritrócitos é de 7,5mm e a maioria dos eritrócitos tem a forma característica de disco bicôncavo. A forma e a flexibilidade normais dos eritrócitos dependem da integridade do citoesqueleto ao qual está ligada a membrana lipídica. O aparecimento de uma forma anormal pode resultar de um defeito primário do citoesqueleto, da membrana ou ser secundário à fragmentação, cristalização ou precipitação da hemoglobina. A membrana do eritrócito é constituída de uma dupla camada lipídica, atravessada por várias proteínas transmembrana. Certos termos usados para descrever a morfologia dos eritrócitos requerem definição. Para descrever as células que apresentam morfologia normal são usados dois adjetivos: normocítico (células de tamanho normal) e normocrômico (células que contém quantidade normal de Hb corando-se normalmente) .Outros termos descritivos pressupõem que a morfologia é anormal, como veremos a seguir. Poucos laboratórios adotam a política de descrever a morfologia normal (normocítico e normocrômico), a maioria comenta a morfologia eritrocitária somente quando esta é anormal ou quando a normalidade é particularmente significativa. Exemplo: se o paciente está anêmico, mas os eritrócitos são normocíticos e normocrômicos, é útil fornecer esta informação porque ela limita as possibilidades diagnósticas. As principais alterações morfológicas são:

 

ANISOCITOSE A anisocitose é o aumento da variabilidade do tamanho dos eritrócitos que excede a observada em um indivíduo sadio. É uma anormalidade inespecífica comumente encontrada nas desordens hematológicas. ·

 

MICROCITOSE Microcitose é a diminuição do tamanho dos eritrócitos. Os micrócitos são notados na distensão sangüínea quando o diâmetro dos eritrócitos é inferior a 7 - 7,2mm. O núcleo do linfócito pequeno, com diâmetro de aproximadamente 8,5mm, é um guia útil na avaliação do tamanho dos eritrócitos. A microcitose poderá ser geral ou existir em parte da população de eritrócitos. Quando todos ou a maioria dos eritrócitos são pequenos há uma redução significativa no VCM. Os eritrócitos de crianças sadias são menores que os de adultos: o tamanho eritrocitário deve ser portanto, interpretado conforme a idade do indivíduo. Os negros, como um grupo, possuem eritrócitos menores que os dos brancos: é provável que isto se deva à alta prevalência do traço da a-talassemia , traço da hemoglobina C e outras hemoglobinopatias associadas à microcitose.

 

MACROCITOSE Macrocitose é o aumento do tamanho dos eritrócitos. É notada em uma distensão sangüínea pelo aumento do diâmetro celular. A macrocitose pode ser geral, e neste caso o VCM estará elevado, ou afetar apenas uma parte da população de hemácias. Os macrócitos podem Ter contorno oval ou arredondado. Os eritrócitos dos recém-nascidos mostram acentuada macrocitose quando comparados com os do adulto, sendo desnecessário o comentário a respeito. Discreta macrocitose é também uma característica fisiológica da gravidez e dos adultos idosos. ·

 

HIPOCROMIA Hipocromia é a redução da coloração do eritrócitos (aumento da palidez central das hemácias) devido à deficiência de Hb. A hipocromia pode ser geral ou ocorrer em uma parte da população de hemácias. A hipocromia severa poderá refletir-se em uma redução do CHCM. Qualquer uma das condições que leva à microcitose pode causar hipocromia. Os eritrócitos das crianças sadias são freqüentemente hipocrômicos quando comparados com os dos adultos. ·

 

HIPERCROMIA O termo hipercromia é raramente usado na descrições de distensões sangüíneas e refere-se à células com intensidade de coloração maior que a normal, mas é mais útil indicar por que a célula é hipercrômica: Os esferócitos e as células irregularmente contraídas coram-se mais intensamente que os eritrócitos normais. ·

 

DIMORFISMO Dimorfismo significa a presença de duas populações distintas de eritrócitos em uma distensão sangüínea . O termo aplica-se na maioria das vezes à presença de uma população de células hipocrômicas microcíticas e de células normocrômicas que são normocíticas ou macrocíticas. Como o termo é geral, é necessário descrever as duas populações. ·

 

POLICROMASIA OU POLICROMATOFILIA O termo refere-se aos eritrócitos que tem coloração róseo-azulada em consequência da captação simultânea da eosina (pela Hb) e dos corantes básicos (pelo RNA ribossômico). Uma vez que os reticulócitos são células cujo RNA ribossômico absorve corantes supravitais, formando um retículo visível, há um relacionamento entre os reticulócitos e as células policromáticas. Ambos são eritrócitos imaturos, recém-saídos da medula óssea . ·

 

POIQUILOCITOSE OU PECILOCITOSE A célula que tem forma anormal. Fala-se em poiquilocitose, quando há um número exagerado de células de forma anormal. A altitude produz um certo grau de poiquilocitose em indivíduos hematológicamente normais. A poiquilocitose é uma anormalidade comum, inespecífica, encontrada em várias desordens hematológicas: pode resultar de produção de células anormais pela medula óssea ou de dano às células normais após serem liberadas para a corrente sangüínea. A presença de poiquilocitose com certas formas específicas como por exemplo, esferócitos ou eliptócitos, pode Ter um significado especial.

 

ESFEROCITOSE São células com forma esférica ou aproximadamente esférica, em vez de disciforme. O diâmetro de uma esfera é menor que o de um objeto discóide do mesmo volume, por isto o esferócito parece menor que um eritrócito. ·

 

OVALOCITOSE Refere-se às hemácias com forma oval. Quando o número de ovalócitos é elevado é provável que o paciente tenha uma anormalidade herdada, afetando o citoesqueleto dos eritrócitos. Os ovalócitos macrocíticos ou macro-ovalócitos são característicos da anemia megaloblástica e da mielofibrose idiopática. ·

 

DACRIÓCITOS Os dacriócitos são hemácias em forma de lágrima ou pêra. Estão presentes quando existe fibrose da medula óssea ou diseritropoese severa. São particularmente característicos da anemia megaloblástica, da talassemia maior e da mielofibrose. ·

 

CÉLULAS ESPICULADAS Dentre as células espiculadas estão os equinócitos, acantócitos, queratócitos e esquistócitos. É bastante difícil descrever tais células e a distinção entre elas é geralmente feita em microscopia eletrônica de varredura.

 

CÉLULAS EM ALVO OU TARGETT CELLS Os eritrócitos em alvo possuem uma área de coloração aumentada no meio da área de palidez central. Eritrócitos em alvo formam-se como consequência de um excesso de membrana em relação ao volume do citoplasma. Eles podem ser microcíticos, macrocíticos ou normocíticos. ·

 

ESTOMATOCITOSE Os estomatócitos são eritrócitos que , na distensão corada, apresentam uma fenda, ou estoma, linear central. São vistos ocasionalmente na distensão sangüínea de indivíduos sadios, porém ocorrem com freqüência em indivíduos com hepatopatia. A causa mais comum da estomatocitose é o excesso alcoólico e a hepatopatia alcoólica, onde também é freqüente a macrocitose

 

INCLUSÕES NOS ERITRÓCITOS · CORPOS DE HOWELL-JOLLY São inclusões eritrocitárias, arredondadas, de tamanho médio, compostas de DNA que apresentam características tintoriais iguais às do núcleo. O corpúsculo de Howell-Jolly é um fragmento de material nuclear. Pode resultar de Cariorrexe (fragmentação do núcleo) ou de expulsão nuclear incompleta. A formação destes corpos está aumentada nas anemias megaloblásticas e no hipoesplenismo. ·

 

PONTILHADO BASÓFILO A expressão descreve a presença de considerável número de pequenas inclusões basófilas, contendo RNA, dispersas no citoplasma do eritrócito. São compostas de agregados de ribossomos. Raras hemácias com pontilhado basófilo podem ser vistas em distensões de indivíduos normais.

 

MICROORGANISMOS Podem ser encontrados nos eritrócitos microorganismos como o parasito da malária.