Principais Rotinas   Espermograma  

1. Introdução:


A realização do Espermograma tem como aplicações, principalmente, a avaliação das glândulas seminais, da fertilidade e monitoramento pós-vasectomia.

A coleta e análise do sêmen precisam ser realizadas através de procedimentos adequadamente padronizados.

Além das avaliações físico-químicas, microscópicas e morfológicas dos espermatozóides, podem ser realizadas também avaliações imunológicas, bioquímicas e hormonais.


2. Preparo do paciente e coleta do sêmen:


As informações abaixo relacionadas devem ser fornecidas ao paciente de forma clara, a fim de se obter um material que garanta a confiabilidade dos parâmetros analisados, sendo estes os mais importantes:

· Abstinência sexual: O ideal é uma abstinência sexual de 5 (cinco) dias, podendo variar de no mínimo 2 (dois) e no máximo 7 (sete) dias;

· A coleta deve ser feita preferencialmente no laboratório. Caso contrário, encaminhar a amostra no prazo máximo de 1 hora;

· Antes da coleta, realizar higiene das mãos e pênis;

· A amostra deve ser coletada por masturbação em frascos limpos, de vidro ou plástico (previamente testado), de boca larga, fornecido preferencialmente pelo laboratório;

· Não utilizar métodos alternativos para obtenção do sêmen como, por exemplo, relação sexual interrompida;

· Instruir o paciente para evitar perda do material durante a coleta. Fechar imediatamente o frasco após a coleta, para evitar alcalinização;

· Recomendar ao paciente a não utilização de preservativos de látex durante a coleta;

· É indispensável informar o horário da coleta; e

· O jejum não é obrigatório, exceto quando solicitado a dosagem de frutose, pois níveis elevados de glicose podem interferir na dosagem.


3. Padronização:


3.1 Técnicas analíticas básicas:

3.1.1 Aspectos físico-químicos:

a) Liquefação:

A liquefação normal ocorre dentro de 60 minutos à temperatura ambiente. A liquefação parcial ou ausente é considerada uma importante causa de infertilidade.

Após a liquefação, os demais parâmetros, devem ser analisados imediatamente.

b) Aspecto:

A amostra normal tem aparência homogênea. Podem ser causas de alterações do aspecto: períodos prolongados de abstinência sexual, diminuição de testosterona, alterações das concentrações de prostaglandinas espermáticas, processos inflamatórios do trato genital e uso de certos medicamentos.

c) Volume:

Valores normais: 2,0 a 5,0 ml

Valores menores que 1,0 ml são insuficientes para análise, devendo ser solicitada nova coleta, observando o novo período de abstinência.

d) Viscosidade (consistência):

normal, podendo estar:

aumentada, principalmente, em casos de deficiência de produção de espermolisinas pela próstata.

Diminuída, principalmente, em casos de deficiência vesicular com baixa produção de fatores da coagulação.

e) pH:

Valores normais: 7,2 a 8,0

Este teste dever ser realizado no prazo máximo de 1 hora após a coleta. O método de escolha é o potenciômetro, porém, pode-se utilizar as fitas indicadoras graduadas em décimos de unidades.

f) Cor:

Normal: branco opaco, podendo ser eventualmente, amarelo claro.

g) Odor:

A ausência de odor "sui generis" pode sugerir infecção.

3.1.2 Aspectos microscópicos:

a) Aglutinação:

A sua presença pode sugerir causa imunológica de infertilidade.

b) Motilidade:

Dever ser classificada nas seguintes categorias:

- motilidade progressiva e rápida

- motilidade progressiva lenta

- motilidade não progressiva

- imotilidade

A avaliação da motilidade dever ser feita imediatamente após a liquefação, 2h e 6 h após a primeira avaliação. (Sampaio, et al, 1999)

c) Vitalidade:

Reflete na proporção de espermatozóides que estão "vivos". O método de escolha é a técnica de coloração Eosina/Negrosina (ou o teste hipo-osmótico - "Swelling")

d) Contagem de espermatozóides:

Apesar das câmaras de Horwell e de Makler serem específicas para a contagem de espermatozóides, a câmara de Neubauer (hemocitômetro) ainda é largamente utilizada.

3.1.3 - Análise das características morfológicas:

A coloração de Papanicolau é recomendada, mas, pode-se utilizar as colorações de Giemsa, Leishman e Shorr.

Nesta avaliação devem ser observadas as seguintes características:

- formar normais: ovais

- defeitos na forma e tamanho da cabeça;

- defeitos do pescoço e peça intermediária;

- defeitos da cauda e

- gotículas citoplasmáticas, geralmente localizadas na região do pescoço/peça intermediária da célula.

3.1.4 - Outros elementos:

Os mais comuns são leucócitos, hemácias, células fagocitárias, células germinativas imaturas, células de Sertoli, células epiteliais não germinativas e resíduos celulares anucleados não diferenciados.

A análise destes elementos representa pouco valor clínico, porém o aumento de alguns deles, como o de leucócitos nos processos infecciosos é essencial para o diagnóstico.

A presença de bactérias no sêmen é um achado comum e pode estar relacionada com infecções do trato genito-urinário.

Obs: A contagem de leucócitos e hemácias devem ser realizados na Câmara de Neubauer, considerados valores normais até 1.000 mm3

3.2 Técnicas analíticas complementares (opcionais):

· Detecção de anticorpos anti-espermatozóides: Imunobeads, teste de aglutinação macroscópica (MAR Teste) e outros. A presença destes anticorpos sugere infertilidade.

· Marcadores bioquímicos, como por exemplo: fosfatase ácida e ácido cítrico (marcadores da próstata), frutose e prostaglandinas (vesículas seminais), glicerilfosforilcolina (epidídimo).

· Cultura seminal.


4. Interferentes:


· Medicamentos:

O relato do uso de medicamentos é importante na execução do exame, pois os mesmos podem provocar aumento, ou diminuição das contagens e da motilidade dos espermatozóides.

Alguns exemplos: ácido valpróico, cetoconazol, cimetidina, fluconazol, ramitidina, anfepramona, decanoato de testosterona, fenitoína, haloperidol, sulfassalazina, reserpina, trimetopina, cafeína e outros.

· Drogas de abuso como, por exemplo: álcool, tabaco,maconha, cocaína e outras.

· Preservativos de látex.

· Temperaturas extremas de conservação da amostra. (ideal entre 20 e 40ºC)


5. Exames solicitados simultaneamente:


Outros exames que podem ser solicitados simultaneamente ao Espermograma são principalmente; secreção uretral, urina de 1º jato e urina jato médio (rotina e/ou cultura), sendo que estes devem ser colhidos na seqüência acima e antes da coleta do sêmen para a realização tanto do Espermograma quanto para espermocultura.

Se o pedido for somente espermocultura, solicitar ao cliente que urine imediatamente antes da coleta.


6. Sugestão de laudo e valores de referência:


Nome:                                                                                     Nº:

Idade:                                                                                     Data: _____/_____/_____

Dias de abstinência:

Outros dados:

Aspectos Físico - Químicos

Resultado

Valores de Referência

Tempo de liquefação:

Aspecto:

Volume:

Viscosidade:

PH:

Cor:

Odor:


normal até 60 minutos

homogêneo

2,0 a 5,0 ml

normal

7,2 a 8,0

branco opaco

sui generis

Aspectos Microscópicos

Resultado

Valores de Referência

Aglutinação:

Motilidade após liquefação:

após 2hs:

após 6hs:

Vitalidade

% vivos:

% mortos:


ausente

25 % de motilidade progressiva rápida ou 50 % de motilidade progressiva rápida e lenta


³ 70 %

£ 30 %

acima de 20 x 106 / ml

Contagem



Nº de espermatozóides / ml:

Nº de espermatozóides /volume total:



Análise morfológica 



Defeitos de cauda

Defeitos de pescoço e peça intermediária

Defeitos de cauda

Outros elementos:


Normal

³ 30 % de formas ovais